Resenha: Reboot - Amy Tintera



Achei esse livro por acaso, estava baixando um e-book e esse apareceu. Fiquei curiosa com a capa (suponho que ela tenha esse intuito) e li a sinopse, o que me deixou ainda mais curiosa e despertou meu interesse pelo livro.
Quando grande parte da população do Texas foi dizimada por um vírus, os seres humanos começaram a retornar da morte. Os Reboots eram mais fortes, mais rápidos e quase invencíveis. E esse foi o destino de Wren Connolly, conhecida como 178, a Reboot mais implacável da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano. Como a mais forte, Wren pode escolher quem treinar, e sempre opta pelos Reboots de número mais alto, que têm maior potencial. No entanto, quando a nova leva de novatos chega à CRAH, um simples 22 chama sua atenção, e, a partir do momento que a convivência com o novato faz com que ela comece a questionar a própria vida, a realidade dos reinicializados começa a mudar.
Número de páginas: 352
Autora: Amy Tintera
Editora: Galera Record
Título original: Reboot
Continuação: Rebel
Classificação: 5/5

Quando esse vírus começou a se espalhar pelos Estados Unidos, o Texas foi o primeiro a fechar suas fonteiras. O KDH matou milhares e as pessoas infectadas começaram a apresentar um sintoma peculiar: voltavam à vida; porém mais fortes, mais rápidos e mais frios. Quanto mais tempo eles passassem "mortos", mais suas características humanas despareciam.

Wren é a Reboot mais forte da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano, tendo passado 178 minutos desacordada. A história é narrada por ela de forma dinâmica, e com o fato do livro ter muitas cenas de ação, torna a leitura mais prazerosa.

Os Reboots são divididos em dois grupos: os mais fracos são os -60 e os mais fortes são +120. Os mais fortes têm a função de treinar os Reboot recém-chegados e Wren, sendo a melhor entre eles, tem o direito de ser a primeira a escolher, sempre escolhendo o recém-chegados mais fortes e capacitados. Mas isso muda com a chegada de um 22, ou Callum, como prefere der chamado. E, por alguma razão, Wren resolve, pela primeira vez como Reboot, treinar um -60.

Por ser um 22, Callum ainda tem as mesmas emoções de um humano. Isso faz com que Wren mude de opinião sobre muitas coisas das quais ela nem ao menos questionava.

Há uma reviravolta na estória e Amy Tintera nos introduz ao próximo livro com um final que nos faz querer ler o mais rápido possível Rebel, porém ele só foi lançado em inglês por enquanto.

  
Reboot: 5 anos atrás eu morri. 178 minutos depois, eu acordei.
Rebel: Eu estive morta por 178 minutos. Não estou pronta para morrer de novo.
A capa de ambos os volumes já é um chamativo ao leitor, visto que traz duas frases que nos faz ficar intrigados.

Já leu Reboot? Conta pra gente o que achou! Está ansioso para ler Rebel? É, estamos no mesmo time! Ficou curioso para ler? Recomendo muito, pode baixar em PDF ou em e-book clicando no link abaixo:

Baixar PDFBaixar em e-pub (se estiver pelo celular)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas